Cinco coreografias arrebatadoras (e disponíveis no YouTube), por Bia Lessa

A prestigiada diretora de teatro mistura, desconstrói e também constrói novas linguagens em seus espetáculos, como na peça-instalação 'Grande Sertão: Veredas', que acaba de estrear no Rio.  O corpo, o movimento e, por fim, a dança têm lugar cativo em seu repertório. Aqui, ela indica espetáculos de diversas épocas e origens que podem ser vistos online   

31.01.2018  |  Por: Bia Lessa

image
Cinco coreografias arrebatadoras (e disponíveis no YouTube), por Bia Lessa

1. Cafe Müller, de Pina Bausch (1940-2009)
Um trabalho primoroso. A primeira imagem que se vê é a de um palco coberto por cadeiras, criando a impossibilidade da dança. Os movimentos então vão inventando os espaços. É também uma oportunidade de ver Pina dançando.

[No YouTube, pode-se ver todo o espetáculo, criado em 1978, dividido em três vídeos.

2. Para que o Céu Não Caia, de Lia Rodrigues
Há diversos trechos dos trabalhos de Lia Rodrigues no YouTube e, mesmo que pequenos, valem a pena serem vistos, como Para que O Céu Não Caia. Também existem online fragmentos de entrevistas de Lia, que faz um trabalho único no Brasil. Uma artista deslumbrante.

3. Raridade de Kazuo Ohno (1906-2010)
Documento belo e raro de seu trabalho, este vídeo registra Kazuo Ohno, mestre do butô, no palco.

4. Squaregame (1976), de Merce Cunningham (1919-2009)
Sem música, os passos dos bailarinos são amplificados [por microfones instalados no palco]. Merce Cunningham é genial. Para compreender o infinito universo dos movimentos e das possibilidades da dança.
[No vídeo abaixo, o espetáculo, concebido em 1976, é reapresentado em 2011.]

5.  Danza Contemporanea/ Achterland, de Anne Teresa De Keersmaeker
A belga Anne Teresa De Keersmaeker [nascida em 1960 e fundadora da companhia Rosas, em atividade desde 1983, com sede em Bruxelas] é uma das mais importantes coreógrafas atuais.

 

 

0 Comentários

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *