Paquera VIP: testamos o Tinder Gold e o Happn Premium

Confira em detalhes o que rola nas versões pagas dos apps de encontros e se vale a pena desembolsar pela 'pulseirinha'

19.07.2018  |  Por: Livia Saraiva

image
Paquera VIP: testamos o Tinder Gold e o Happn Premium

O Tinder e o Happn são os apps de paquera mais usados no momento, e como qualquer aplicativo, eles também querem seduzir seus usuários com serviços premium. Vantagens a um precinho camarada (ou nem tanto). Suas versões deluxe são, respectivamente, o Tinder Gold e O Happn Premium. A pedido de Hysteria, passei um mês utilizando a versão paga dos dois apps. Senta que lá vem a história. Não pouparei detalhes e de quebra vou contar se deu match, ou seja, se algum dos aplicativos conquistou um lugarzinho na fatura do meu cartão de crédito.

TINDER – Resumo rápido

No Tinder, ao contrário do Happn, a navegação é no modelo eliminação, ou seja, você vê os perfis de “um em um” e antes de seguir precisa decidir se desliza para a esquerda descartando o pretendente ou se desliza para a direita, mandando seu “curtir”. Esse like a princípio é secreto e só é revelado quando correspondido. O famoso It’s a match! Neste caso, vocês podem trocar uma ideia, marcar um cinema, um drinque, uma suruba, ou até não marcar nada, o que é muito provável.

TINDER GOLD – Um novo mundo

Assinatura mensal = R$ 49,90
Poder voltar ao perfil anterior
Ver quem te curtiu
1 boost por mês
5 superlikes por dia
Ocultar sua idade/distância
Likes ilimitados
Passaporte
Navegar sem publicidade

PODER VOLTAR AO PERFIL ANTERIOR – Adeus dedos nervosos?

Quando meu ícone do Tinder ficou dourado (alterar a cor é opcional) só pensava numa coisa: estava livre do meu grande pesadelo de usuária free: não poder voltar atrás quando achasse que tinha perdido um match dos sonhos. Dentre a multidão que é o Tinder, era relativamente comum entrar nesse modo deslize-automático e ser tomada pela recorrente sensação de arrependimento. Foi o primeiro recurso que testei e já comecei encarando uma decepção: funciona apenas para o perfil imediatamente anterior. Óbvio!

VER QUEM TE CURTIU – Roubando no jogo

Esse polêmico recurso que contraria a premissa original do like secreto é o grande hit da versão premium dos apps. Confesso que depois de uma vida dando likes na certeza de impunidade, acessar com exclusividade a lista das pessoas que tinham me curtido me parecia como um suborno para ter uma informação privilegiada. E… é isso mesmo. Mas a partir do momento em que você se permite usufruir desse poder escuso, e desses matches instantâneos, a vida pode ser bem prática.

USANDO O BOOST – Furando a fila

Nunca tinha usado um boost, um recurso que faz com que durante 30 minutos sua visualização aumente em até 10 vezes. Mal sabia que raios era aquilo quando acidentalmente apertei o comando e o cronômetro disparou. Nesse caso não foi culpa exclusivamente do meu dedo nervoso, o botão é praticamente uma armadilha. Por sorte era sábado à noite, popularmente conhecido como o melhor horário para usar um boost. Em termos de visualização, isso se equiparou a (digamos) fazer um anúncio no intervalo do jogo do Brasil. Quando terminaram os 30 minutos eu estava diante de um Maracanãzinho de likes. Como estamos no Tinder Gold, tive acesso a todos que deram like, mas fiquei olhando a lista e me perguntando como reconheceria minha alma gêmea ali.

5 SUPERLIKES POR DIA – Me filma, Galvão!

Como no Tinder, a princípio, você só tem aquela chance na timeline alheia, um superlike vale ouro. E um pode ser pouco se você esbarrar com mais alvos precisos no mesmo dia. Luxo e riqueza misturado com a cara de pau de um “Me filma, Galvão!”.

LIKES ILIMITADOS – Para heavy users

Nunca zerei likes no Tinder, e pra ser honesta só soube que isso era possível conversando com amigos. Pra eles esse recurso deve ser útil.

PASSAPORTE – Uma janela para o mundo

Como não tinha nenhuma viagem programada – e quando o assunto é Tinder dificilmente entro no espírito da Copa – esse recurso não me foi útil. Mas, parece interessante para quem gosta de planejamento e quer deixar uns dates reservados no próximo destino.

NAVEGANDO SEM PUBLICIDADE – Que publicidade?

As publicidades nunca tinham me chamado muito a atenção. Não me abalou.

CUSTO-BENEFÍCIO – A hora da verdade

O custo de R$ 49,90 é quase o preço do Spotify e Netflix juntos. Já o benefício é mais difícil de ser calculado. O Tinder Gold se vende como um “assistente pessoal” na busca por matches e como tudo se trata de algoritmos acredito que as vantagens só possam ser avaliadas individualmente. Depende muito de variáveis como o que se espera do aplicativo, o uso que se faz dele e até o tempo que se dedica. Pra mim, a versão paga valeu a pena. Me livrei das chatices da versão gratuita e sim, conheci mais gente que de fato me interessa. Portanto, eu e o Tinder Gold: It’s a match!

HAPPN – Resumo rápido

O Happn mostra pessoas que cruzaram (geograficamente) com você e tem um formato de catálogo que dá prioridade a quem esteve mais perto por último. Uma lógica meio Uber. Ou seja, enquanto o Tinder é o mundo, o Happn tende a ser uma espécie de extensão virtual dos lugares que você frequenta e, portanto, com mais chances de cruzar com a mesma pessoa.

HAPPN PREMIUM – #Somosricos

Assinatura mensal: R$ 79,90
Navegar sem publicidade
Ver quem te deu like
Ficar invisível quando quiser
Ocultar informações do perfil
10 “oi” por dia
2X mais partidas no crushtime

NAVEGANDO SEM PUBLICIDADE – A gente veio pra comer ou pra paquerar?

Minha maior emoção em ser promovida a usuária premium do Happn era saber que durante aquele mês não precisaria ver dois anúncios do iFood para cada perfil de gente. Quer coisa mais deprimente do que entrar num aplicativo de paquera numa sexta à noite e ser ofertada com delivery de hambúrguer?

VER QUEM TE DEU LIKE – Esqueceram de mandar a lupa

O que você espera desse recurso escuso é justamente objetividade e clareza. Afinal, ele é o grande atrativo dessas versões pagas e pode te levar a matches instantâneos bem práticos. Mas a lista do Happn Premium não tem o glamour que merece, mais parece a de notificações do WhatsApp com fotos em formato bolinha. Tamanha vantagem merecia um destaque maior.

FICAR INVISÍVEL – Seu dia de Harry Potter

Esse recurso é um dos mais úteis da versão premium. Explico: como o Happn é esse radar constante da sua disponibilidade para flerte e claro da sua presença nos lugares e no app, ele acaba dando bandeiras. Poder passar despercebida em lugares como seu ambiente de trabalho ou na festa de um amigo do ex (ou da ex) pode ser útil. O sistema é bem profissional: você programa sua invisibilidade por horário e dia da semana.

OCULTAR INFOS DO PERFIL – Mais uma capa da invisibilidade

Nesse recurso que o aplicativo romanticamente chama de “manter o mistério”, você pode ocultar sua idade, sua distância e data de atividade. Num app que trabalha com algoritmo isso é uma espécie de superpoder descoordenado, porque pense comigo: você oculta parte das infos que fazem o aplicativo rodar, o que vai se passar sem esses dados, só eles sabem. Mas podemos dizer que o efeito é uma janela aberta para o desconhecido.

DEZ “OIs” POR DIA _ Me filma, galvão!

O número de “Ois” disponíveis sempre foi um mistério na minha vida de Happn gratuito. Mas posso garantir que o pacote de dez foi suficiente e me livrou dessa dúvida. Para os mais aparecidinhos, com certeza é vantagem certa.

O DOBRO DE CRUSH TIME – Namoro da TV?

Crush Time é uma espécie de joguinho que o Happn criou. Ele te mostra quatro cartas e você tenta acertar quem é seu crush. Nunca fui fã. Explico: ele me soa como uma forma (supostamente divertida) de induzir as pessoas a crushes não pretendidos. Então, ter mais acesso a ele não foi útil pra mim. Gosto de objetividade nos matches.

CUSTO-BENEFÍCIO – A hora da verdade

Sabe aquela sensação de estar jogando na máquina de pescar brinquedo e quando você está prestes a fisgar alguma alguma coisa… precisa colocar outra moedinha se não o jogo acaba? O.k., talvez você não saiba, mas é algo como tentar, tentar e nunca conseguir. Bem, a vantagem que vi em ser usuária Premium do Happn foi me ver livre desse sentimento. Mas na minha avaliação isso não vale os R$ 79,90 (veja: eu pago isso por um mês de academia). Pra este valor compensar, o app tinha que fazer uma revolução e não foi o caso. Por isso prefiro fazer as pazes com as propagandas de hambúrguer.

 

0 Comentários

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *