Paz e pureza no olhar sobre os outros

Com incessante busca pela transparência, a pernambucana Bruna Valença é uma das jovens fotógrafas brasileiras que ganham destaque no mundo

16.05.2019  |  Por: Mari Cobra

image
Paz e pureza no olhar sobre os outros

Sonhos, a estética do subconsciente e a sensação de efemeridade do mundo dão o tom do trabalho da fotógrafa Bruna Valença. Nascia em Recife há 28 anos, ela desenvolveu desde cedo o gosto pela arte. Fotografa desde os 15 anos e é fã do universo analógico. Estudou Direção em Cinema na Escola de Cinema de Praga e ao longo dos anos explorou suas habilidades. Com isso, ganhou um olhar que tem profundidade.

Ela acumula no currículo o trabalho em curtas-metragens locais e a cobertura de semanas de moda como as de São Paulo, Paris e Nova York. Além disso, ganhou o prêmio People’s Choice Award 2011, da See Me Institution, dos Estados Unidos, foi selecionada pelo Portable’s Fashion On Film em 2012 e exibiu o vídeo SIX em Nova York. Acabou merecidamente listada pela Teen Vogue americana como parte da “Nova geração de fotógrafas femininas”.

O principal trabalho de Bruna hoje é focado em retratar mulheres de forma bem real e transparente. A busca pela pureza é nítida em suas fotos. “Quero produzir imagens que me tragam paz, sempre”, ela afirma. Inspiração pura. A seguir, a conversa que tivemos.

O que te motivou a começar a fotografar?
Meu interesse pela imagem começou aos 14 anos de maneira mais investigativa. Observava as cores, as texturas e sentia uma necessidade de registrar a minha vida naquele momento. Ganhei uma câmera pequena do meu pai e comecei a fotografar tudo ao meu redor. Aos 16 anos encontrei um curso de fotografia caseiro na minha cidade e me inscrevi. Quando o curso acabou, senti aquela sensação de “é isso!” batendo forte no peito. Meu pai me motivou muito desde o início e o apoio dele foi imprescindível.

Como é seu processo criativo? Quais suas inspirações?
Geralmente começa com uma ideia mirabolante que vem na minha cabeça e logo coloco no papel, escrevo sobre ela e estudo como realizá-la. Daí já parto pra ação. Não gosto de deixar ideias apenas no papel, sabe? Procuro referências visuais mas tento não me prender a isso para estar com um olhar mais neutro pro trabalho. Meus sonhos me inspiram muito, anoto sempre e guardo na memória visual par um dia usá-los. Mas minha maior inspiração são as pessoas. Adoro observar os outros.

O que é mais importante pra você na fotografia?
Ser genuína com o meu processo. Pra mim é importantíssimo estar presente de cabeça e coração no momento em que uma imagem está nascendo. Acredito que isso imprime no trabalho.

Quais suas fotógrafas favoritas?
Amo muito o trabalho de Tuane Eggers, fotógrafa de Porto Alegre que também trabalha com analógico e experimentações. A Shelbie Dimond, autoretratista da Califórnia, também é incrível e tem uma história de vida superinteressante. A Isabella Dias, retratista de Belém, também arrasa demais, produz seus próprios cenários e tem um repertório visual lindíssimo!

De qual projeto seu você tem mais orgulho?
Ano passado me dediquei a conhecer e registrar mulheres em comunidades no Cabo de Santo Agostinho, aqui em Pernambuco. Fiz esse trabalho com o Centro das Mulheres do Cabo e com a Action Aid, durou alguns meses e rendeu amizades lindas. Tive a oportunidade de expor essas imagens na comunidade da Charnequinha e foi muito emocionante observar as mulheres se vendo nas fotos.

Quais seus sonhos?
Continuar trabalhando com o que amo. Trocar energias legais com as pessoas através da minha arte, ter a oportunidade de trabalhar com pessoas agregadoras e… nossa, a lista de sonhos é enorme!

 

Mari Cobra é diretora, roteirista e fotógrafa. Com um olhar característico para a potência feminina, seu trabalho retrata a beleza em sua essência. Além do documentário Nosso Sangue Nosso Corpo, é também autora do projeto Divinas, série de fotos analógicas dedicada a retratar a beleza de mulheres latino-americanas fora do padrão imposto pela sociedade

 

 

 

 

0 Comentários

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *