Playlist é amor

Uma ode às listas de músicas que durante a pandemia têm funcionado como VHS, fitas cassete e CDs que a gente gravava antigamente para dar de presente para amigos e aquela paixonite especial

02.03.2021  |  Por: Luciana Adão

image
Playlist é amor

Nasci com nome de música. Cresci ouvindo Cantiga para Luciana – o que particularmente me irritava bastante, chegar aos lugares e ouvir “Luciaaanaaa, Lucianaaaa, sorriso de menina, nuns olhos de maaar” – na adolescência era um terror. Hoje, me emociono.

Na pandemia eterna que assola nossas vidas nada me fez mais bem do que ouvir música. Em busca de conforto, ouvi playlists de amigos, de curadores de música, de filmes, de festivais e comecei a fazer as minhas. Playlists são as novas VHS, fitas cassetes e CDs que gravávamos para dar de presente para amigos e para aquela “paixonite” especial.

Sempre gostei de música e talvez por causa dela tenha escolhido produção cultural como carreira. Meu irmão tem a memória do meu rosto fixado à MTV esperando pacientemente “aquele“ videoclipe para compor meu VHS. Eles tinham ordem, eram temáticos e para momentos distintos.

Naquele momento, como boa “aborrescente” nos anos 90, tinha uma VHS de pop, outra de grunge, uma de clássicos e aquelas misturadas para sofrer por um amor certamente platônico por algum ídolo porque a graça era jurar que aquela música acontece com você.

Não à toa adoro o Nick Hornby, autor inglês de Alta Fidelidade, O Grande Garoto, entre outros. Ele é o rei das “ top 5 lists” de música para todas as ocasiões. Todo o momento tem uma trilha imaginária ou real.

Em meu aniversário desse segundo ciclo de pandemia uma amiga amada mobilizou outros amigos e familiares para me dar o presente mais incrível de todos: uma playlist colaborativa em que cada pessoa podia incluir músicas que as lembrassem de algum momento comigo ou que achava que eu iria gostar. O resultado: me senti no “arquivo confidencial”, ali tinha o longa- metragem da minha vida com uma trilha sonora única, atemporal e afetiva. É um recorte dos meus fragmentos de vida.

Playlists são edições musicais de nossas vidas realizadas ou desejadas. São uma cartografia afetiva das nossas memórias construídas. Nesse momento desejo tanto os reencontros, os abraços, a vida livre, que comecei a montar uma pensando na primeira saída sem restrições e maturidade, podendo lamber o chão da rua com os amigos. Aqui!

Já parou para pensar na trilha sonora da sua vida?

Playlist é amor – distribua.

Luciana Adão é carioca de alma e produtora cultural 

0 Comentários

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *