O Casulo

É possível ser livre no aprisionamento que é a nossa própria existência como mulher? Neste curta experimental, a diretora Andreza Furtado explora as sensações de quem tenta experimentar a liberdade – não só em tempos de isolamento

18.06.2020  |  Por: Andreza Furtado

image
O Casulo

Não é uma ingrata coincidência, nem mesmo apropriação de um trágico cenário atual. Mas a palavra “confinamento” representa todas as vezes em que as mulheres se sentiram, de alguma forma, aprisionadas por uma liberdade utópica. Este curta, com direção e roteiro de Andreza Furtado, não foi feito durante o isolamento social mas poderia ter sido, uma vez que a pandemia do novo coronavírus generalizou o questionamento do que é ser livre.

O Casulo mostra o desconforto de encaixar nossa vida num lugar que não nos cabe mais. Parece simples alcançar a percepção de que somos donas das nossas próprias ações, mas ao experimentar essa liberdade o sentimento de incerteza é o que toma conta. O lugar que nos abriga pode ser o mesmo que nos aprisiona ao medo de bater asas e voar.

 

 

 

0 Comentários

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *